Delegados do 35º Congresso do ANDES-SN deliberam ações para política sindical

Data: 30/01/2016

 

Formação sindical, debate sobre multicampia e fortalecimento do Espaço de Unidade e de Ação foram temas abordados durantes as discussões

A intensificação dos ataques às relações de trabalho nas Instituições de Ensino Superior, que passa pela terceirização, por contratos precários, e, junto com a multicampia, apresenta desafios para a luta e organização sindical dos docentes foi discutida na tarde de sexta-feira (29), durante a plenária que trata das Políticas Sociais e do Plano de Lutas Geral do ANDES-SN, durante o 35º Congresso do Sindicato Nacional.

Para enfrentar essa realidade e aprofundar os debates, os delegados aprovaram a realização de seminário nacional sobre a questão da precarização do trabalho docente nas IE, considerando a situação dos professores substitutos, tutores, visitantes e bolsistas e a realização de uma campanha de filiação, com ênfase nos docentes com vínculo precarizado.

Ao mesmo tempo em que o 35º Congresso do ANDES-SN aprovou o debate sobre a questão da precarização do trabalho docente, os congressistas também deliberaram que o Grupo de Trabalho de Política de Formação Sindical (GTPFS) realize cursos nacionais de formação sindical – sendo dois no primeiro semestre de 2016 e dois no segundo – para aproximar os docentes e destacar a importância da organização sindical para a luta em defesa dos direitos dos trabalhadores.

No intuito de fortalecer também a luta em conjunto com as demais categorias e movimentos sindicais e populares, os docentes aprovaram intensificar a participação do ANDES-SN nos espaços de construção das mobilizações com os setores classistas e populares, em 2016, em particular o Espaço de Unidade e de Ação e os Fóruns de Servidores Públicos, em âmbito nacional e nos estados.

Para Daniela Santos, delegada da Associação dos Docentes da Universidade Estadual da Bahia (Aduneb – Seção Sindical), os trabalhadores enfrentam um momento de extrema fragilidade, com constantes ataques aos seus direitos, o que torna ainda mais necessária a organização e intensificação da luta.

Daniela citou como exemplo os recentes enfrentamentos dos servidores estaduais baianos. “Na Bahia, por exemplo, perdemos direitos que conquistamos a duras greves num governo carlista. E agora, num governo petista eles fazem a  aprovação de PECs e projetos de lei, que retiram esses direitos, como a licença sabática e a licença prêmio, dentre outros”, contou.

A docente da Uneb reforçou ainda que é essencial, neste momento, a formação sindical e o aprofundamento do debate também sobre multicampia. “É de extrema importância percebermos o amadurecimento do Sindicato Nacional do ponto de vista de chegar até a sua base, e de atender as necessidades da sua base. Nesse sentido, é fundamental a questão da formação sindical, principalmente nos diversos campi, porque hoje temos a realidade da multicampia, que precisa ser compreendida e o debate, aprofundado”, ressaltou.

 

Fonte: ANDES-SN