Reitoria da Uern é ocupada por docentes substitutos

Docentes substitutos da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern) ocuparam a reitoria da instituição na noite dessa quinta-feira (30), devido a quebra e ao cancelamento dos contratos de boa parte dos professores e a falta de entendimento entre a Pró-reitoria de Recursos Humanos e a assessoria jurídica da Uern. Os docentes da Uern estão em greve desde o último dia 10 de novembro, exigindo, entre outras reivindicações, o pagamento dos salários atrasados.

A direção da Associação dos Docentes da Uern (Aduern – Seção Sindical do ANDES-SN) esteve presente, durante todo o dia de quinta, no processo de negociação que tentava viabilizar a permanência dos substitutos e substitutas. A posição da seção sindical é de que “a greve é um direito de todos os trabalhadores e trabalhadoras, sejam concursados ou provisórios e que os contratos devem ser mantidos durante o movimento paredista”.

A assessoria jurídica da Aduern SSind. também esteve presente na negociação e questionou as motivações jurídicas que levariam à suspensão dos contratos. A Aduern SSind. já havia incluído a luta dos docentes substitutos no conjunto de reivindicações de greve da categoria.

De acordo com informações dos docentes em contrato provisório, dos 180 professores e professoras contratados temporariamente pela universidade, apenas 28 seriam mantidos pela reitoria. A deliberação revoltou o segmento.

“Estamos em greve, pois estamos há dois meses sem receber salários. Não há diferença entre os professores efetivos e substitutos. Ontem tivemos uma reunião, onde a reitoria esteve com toda a sua assessoria jurídica e foi colocado que não haveria condição dos substitutos permanecerem. Todos nós, contratados, já estamos com nossas matrículas cadastradas na Plataforma Íntegra para darmos aulas no próximo semestre, bem como os alunos que também já estão matriculados”, explicou Fernando Domingos, que é docente provisório no curso de História no campus de Assu.

A assessoria jurídica da Uern divulgou uma nota oficial sobre a ocupação, na qual afirma que seu parecer é desfavorável à renovação dos contratos. Confira a nota na íntegra.

Leia mais:
Governo estadual usa força policial para acabar com a ocupação dos docentes da Uern 

*Com edição do ANDES-SN

 

Fonte: Aduern SSind.